A saúde e os shopping centers

  • Post author:
  • Post published:15 de agosto de 2021

Uma matéria publicada pelo site Medicina S/A em 28/04/2021 comentou sobre o potencial de crescimento de clínicas (consultas, vacinas e estéticas) e laboratórios operando em shopping centers em todo o Brasil.

Iniciei a minha carreira profissional em Belo Horizonte, no ano de 2007, momento que a capital mineira viveu um importante ciclo de crescimento e investimentos dos principais players da saúde.

A convite de uma empresa, em 2015, me mudei para Goiânia e passei a assumir a gestão de uma rede de centros de medicina diagnóstica local. Ao desembarcar na capital do Estado de Goiás, me deparei com algo novo: clínicas e laboratórios instalados em shopping centers.

Me surpreendi, também, com os terminais de transporte público que também contavam com a presença de unidades de serviços de saúde.

shoppings

Vários foram os questionamentos que fiz para os gestores locais sobre a viabilidade de um modelo de negócio com tal configuração. Como seria manter um negócio de alto custo, em uma estrutura de alto valor agregado (shopping) e diferente das tradicionais lojas de rua e salas localizadas em prédios e galerias comerciais?

Para minha surpresa, o modelo de negócio mostrou-se rentável e muito demandado. Porém, sua manutenção exige constantes investimentos em estrutura, gestão de pessoas e experiência do paciente (cadeiras de espera, café da manhã, tempo de espera, etc.).

Dentre os vários motivos que justificam o sucesso do modelo em questão, vale a pena destacar:

  1. A facilidade de acesso do usuário a um serviço de saúde, na sua região de residência ou no trajeto para o trabalho;
  2. Público com demanda por serviços estéticos e preventivos (ex.: vacinas);
  3. Investimentos em novos shopping centers localizados em regiões distantes dos centros das capitais.

Vemos aqui várias das tendências para o futuro do segmento de saúde.

Vivemos a era da “experiência do cliente” na economia mundial. O segmento de saúde não ficou por fora.

O varejo, por exemplo, investe bilhões de dólares no mundo em pesquisa e desenvolvimento de soluções que buscam melhorar continuamente a experiência do seu consumidor. E a Saúde? Você acredita que chegaremos em um nível tão alto?

O momento é agora!

As inovações já chegaram por meio de aplicativos, plataforma, telemedicina e sistemas de gerenciamento avançados. Se você ainda não conhece, deveria, pelo menos, começar a tomar conhecimento dos seus benefícios.

A saúde vive uma revolução!

Um segmento que outrora foi marcado pela força da indicação, vive agora o dilema de acostumar-se com um cliente que consome um serviço a partir do seu poder de escolha.

Luiz Henrique Soares

Fundador da Especialista no mercado de Saúde